O que é fibra ótica, afinal?

A fibra ótica é uma das principais tendências na telecomunicação dos últimos anos, principalmente por sua enorme capacidade de transmissão de dados a longas distâncias e alta velocidade, conectando usuários, centrais telefônicas e provedores de internet por todo o Brasil.

Trata-se de uma espécie de filamento altamente fino, transparente e flexível. É produzido de vidro ou plástico e funciona de maneira eletricamente isolante. Sua principal função consiste, como já dito, em transmitir conteúdo digital (dados, voz e vídeo) por meio de sinais no formato de luz por longuíssimos quilômetros.

O fio ótico é considerado um dos tipos de cabos de rede mais eficientes para veicular sinais. Quando comparado com tecnologias convencionais, torna-se muito mais vantajoso em virtude de sua qualidade, capacidade e velocidade no tráfego de informações.

A internet por fibra ótica permite que o usuário navegue na internet de forma rápida e estável. Por essas e outras, vale a pena aprender como ela funciona para, depois, saber quais são suas vantagens e desvantagens.

Como funciona a internet fibra ótica?

A internet fibra ótica funciona a partir da transmissão de banda larga a longas distâncias sem perder qualidade nem gerar instabilidade. Isso acontece porque o cabo de fibra ótica permite que mais sinais sejam difundidos, ao contrário do material de cobre utilizado nas conexões DSL, que é mais limitado.

Diferentemente da internet por fio de cobre, a fibra ótica não usa eletricidade na transmissão de sinais, na medida em que os transforma em luz para os enviar por meio do cabo. Tal processo pode ser feito de duas formas: por laser (fibra monomodo) ou LED (fibra multimodo).

Basicamente, a primeira trabalha com apenas um sinal de cada vez, tendo em vista que só tem uma fonte de luz. Por outro lado, conta com a vantagem de veicular conteúdo por grandes distâncias, sem perder a qualidade.

Já a segunda consegue trocar vários sinais simultaneamente. Além disso, é mais barata e recomendada para redes locais, visto que deve ser usada em distâncias menores, que chegam, no máximo, a pouco mais de 300 metros.